Na manhã de quarta-feira (1º) duas empresas de Pinhalzinho receberam incentivos do Governo Municipal, já fazendo parte do Projeto Colmeia. 


Conforme o secretário de finanças, Sérgio Matte, o Projeto Colmeia, lançado nesta semana, surgiu através de uma cooperação do Governo Municipal, Secretaria Municipal da Indústria e Comércio, Câmara de Vereadores de Pinhalzinho, Fiesc/Sesi, Fcdl/SC, Facisc, Associação Empresarial de Pinhalzinho (Acip), bem como o Núcleo de Inovação da Acip e Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) Pinhalzinho. Também apoiam o projeto às universidades de Pinhalzinho, Horus, Unoesc e Udesc, além da Cooperativa Regional Itaipu e Atitude - Projetos e Recursos. O objetivo é o incentivo ao fomento do empreendedorismo, tanto na indústria, no comércio, prestação de serviço, agronegócio e agricultura familiar. 


Os incentivos foram repassados para a empresa Amanbru do setor do vestuário e para a indústria do setor metal mecânico, Calhas Petry. “São repasses de recursos para auxílio na construção, para que tenham uma infraestrutura adequada para o ambiente de trabalho de sua equipe, dentro da proposta que apresentaram para o município quando solicitaram o recurso”, diz.     


O Projeto Colmeia, é rumo a 500 novos empregos e R$ 1 bilhão no movimento econômico até 2020. O movimento econômico é o que determina o índice do repasse do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) de retorno para o município. “Hoje com R$ 801 milhões, movimento de 2016, o município tem um índice de retorno sob os 25% de ICMS que o Estado repassa de 0,43%. Se atingirmos para R$ 1 bilhão esse índice vai aumentar, aumentando, assim a receita que retorna para o município, poder fazer esse tipos de investimentos que só engrandece e cria a sustentação do tripé social, econômico, ambiental e o desenvolvimento social”, ressalta o secretário de finanças de Pinhalzinho.