Na quarta-feira (11), integrantes da Sala de Situação Municipal - Dengue estiveram reunidos, na sala de reuniões da Prefeitura Municipal. 


Na pauta da reunião esteve o Programa da Dengue, avaliação das ações que estão sendo desenvolvidas e sugestões que são fundamentais para a manutenção do controle da doença. 
Foi informado, que 138 focos do mosquito aedes aegypti foram localizados no município, também neste ano, foi confirmado um caso de Chikungunya e dois casos de dengue importados para Pinhalzinho. Ainda na quarta-feira, o Programa da Dengue em Pinhalzinho recebeu o resultado de três casos suspeitos de Dengue, sendo os três descartados, apenas um caso suspeito ainda aguarda resultado do laboratório. Desde 2017 o município não registra casos de Dengue autóctones. 


O coordenador do Programa da Dengue em Pinhalzinho, Claudir A. Kollett, salientou que a reunião foi muito produtiva. O que o Estado vem cobrando e assim foi cobrado da Sala de Situação, que os membros, as 18 entidades que compões a Sala, desenvolvam alguma atividade ou que tenha algum engajamento de responsabilidade deles próprios, levando a preocupação da Dengue como referência.


Kollett ressalta que a população deve colaborar e informa que tem muito municípios da região Oeste já positivando casos de doença autóctones. “Em Pinhalzinho, felizmente o trabalho que vem sendo feito está dando resultado e estamos conseguindo controlar, mas a população deve continuar colaborando. De 100% da responsabilidade, 20% de trabalho no controle da Dengue fica com o Poder Público e 80% com a população. Mas nas passagens que temos feitos nas residências, estamos vendo que esses 80% não estão sendo executado e ali está se criando um problema e pode resultar em uma nova epidemia no município”, afirma.