Um dos grandes projetos do governo municipal gestão 2017/2020 inicia domingo (16), o transporte coletivo de passageiros de Pinhalzinho. 


O prefeito, Mario Afonso Woitexem, diz que essa é uma conquista, pois muitas pessoas desejavam e reivindicavam o transporte coletivo. “Esse é um diferencial para que Pinhalzinho possa crescer, para que possamos destinar novas áreas para a indústria, comércio e prestação de serviços, assim como para novas áreas residenciais e dar qualidade de vida aos pinhalense, precisaríamos do transporte, que agora é realidade”, aponta. 


A primeira fase do projeto conta com cinco veículos que farão os trajetos pelo município até as escolas, faculdades, empresas e pontos do município, no decorrer do projeto mais veículos poderão vir a serem incluídos, sempre visando à demanda exigida. A empresa Trans’Kinho, vencedora da licitação, será a responsável pelo transporte coletivo. 

Funcionamento do transporte coletivo

“Vamos iniciar no domingo com rotas especiais e também a partir de segunda-feira (17) teremos alguns itinerários iniciando”, menciona a representante da empresa Trans’Kinho, Clesia Gubiani. 


As passagens antecipadas terá o custo de R$2,75 e na hora R$3,00. Estudantes pagam meia passagem. Todo usuários terá um cartão para estar usando o transporte. Idosos com mais de 65 anos não terá custo de passagem, porém precisa fazer o cadastro junto à sede da empresa para obter o cartão de transporte, vale destacar que o cartão é intrasferível. Para as pessoas com deficiência, mediante laudo médico que comprove a deficiência é feito o cadastro junto à empresa, gerado o cartão e o transporte passa a ser gratuito. 


Ela aponta ainda que o transporte é um grande desafio. “Sabemos que vamos ter que mudar alguns itinerários e sugestões serão bem vindas. Já fechamos parcerias com alguns empresários para o transporte em algumas empresas e nos colocamos à disposição para conversar com os empresário e fechar novas parcerias”, menciona.  


Inicialmente o transporte seguirá as rotas que já estavam sendo feitas com os funcionários, mas agora o transporte público e não exclusivo para determinada empresa. “Nosso maior objetivo é que as pessoas fiquem menos tempo possível dentro do ônibus. Teremos algumas rotas de integração que é do bairro Divineia e do Terminal Rodoviário, mas para o transporte de funcionários neste primeiro momento não será feita integrações. Com o tempo vamos ajustando as rotas e explicando a melhor forma para facilitar e diminuir o tempo dentro do ônibus”, diz Clesia. 

O escritório da Trans’Kinho fica na Avenida Porto Alegre, ao lado da Decore.